Não importa o que você quer alcançar na sua vida, isso não acontecerá sem alguns sacrifícios. Para receber primeiro você precisa dar. Seu sacrifício deverá ser igual ao valor do que você deseja obter. Então responda a si mesmo: Quanto você realmente quer isso?

As respostas para essa pergunta irão determinar o que e como você “pagará” o preço.

Eu sacrifiquei minha vida adulta inteira por meu sonho de viajar. Trabalhei em diversos lugares e por intermináveis horas para ganhar mais dinheiro. Economizava desde o momento que acordava até ir me deitar. Vivia de batatas com casca e feijão, dividia a casa com mais 25 pessoas e tinha um armário de roupas prático e barato, porém nada elegante.

Por mais que eu sempre tenha gostado de viver com estilo e conforto, estes sacrifícios nunca realmente me incomodaram. Isso porque eu sabia para onde estava caminhando e que meus ganhos seriam muito maiores – uma vida inteira de histórias e memórias.

Um dia antes de pegar a estrada e partir em minha viagem os sacrifícios que eu estava fazendo ficaram mais claros. O universo parecia trazê-los para minha consciência pra verificar se eu estava bem em fazer esses sacrifícios. A verdade é que se eu não pudesse compreendê-los, então o que queria nunca poderia ser realmente meu.

mulher viajante aventureira

Eu e meu maridos estávamos loucamente tentando terminar de arrumar nosso apartamento e fazer nossas mochilas. Esperávamos ter um dia relaxante na praia ao lado de nossa família e amigos, mas as janelas pareciam implorar para serem limpas antes de partirmos. Minha filha brincava no quintal com nossa cadela Poppy. Elas estavam inseparáveis e eu estava ciente de que sabiam ou pelo menos sentiam o que iria acontecer no dia seguinte.

“Poppy”, ela puxava para um lado e para o outro enquanto chamava seu nome, sempre que ela vagava um pouco mais longe. Ela amava Poppy e eu estava com medo de magoar seu coração. Por um instante senti um puxão para ficar e não mais partir. Será que eu estou realmente preparada pra separar minha filha disso? 

Fomos então nos despedir de meus pais. Minha mãe chorou e disse o quanto seria ruim não ter mais eu e sua pequena neta por perto “Vai ser tudo tão calmo por aqui agora.”.

E novamente o puxão. Meus pais estão em uma idade avançada e ficando cada vez mais velhos agora, será que eu realmente estou disposta a deixá-los? Vale a pena?

Paramos para deixarmos algumas coisas nas casas de amigos. Suas crianças correram para foram. Elas haviam tomado banho e, no meio do jantar, já estavam prontos para irem pra cama cedo. Eles aparentavam serem uma família tão sorridente, feliz e amável. Senti uma ponta de arrependimento que não era eu ali.

Adoraria ter minha própria casa e ser bem resolvida em um bairro próximo dos meus amigos em que pudesse chamá-los pra fazermos um churrasco e conversarmos. Eu adoraria que meus filhos tivessem essa estabilidade e rotina também. E mais do que tudo, eu adoraria que eles crescessem próximos de seus avós e o resto da família. Seria uma casa permanente uma ideia melhor pra construirmos nossa família? Será que isso nos traria melhores recordações?

Dirigimos de volta para casa já no entardecer. As ruas e casa me eram tão familiares e convidativas. Deve ser bom ter um lugar que você sabe que é a sua casa. Eu sentia as dores por isso; eu lamentava não tê-la. A ideia de viver essa vida era confortante, mas eu sabia que caso realmente a vivesse não demoraria muito tempo pra minhas mãos começarem a coçar e meu coração querer me levar novamente para a direção certa pra mim – uma vida de viajante.

viagem aventura

Por mais que seja muito mais fácil se eu fizesse isso, eu não estava pronta pra plantar meus pés firmemente no chão e seguir uma rotina. Meu coração me diz que há muito mais para eu fazer viajando pela estrada.

Recentemente conversei e entrevistei pessoas que vivem o estilo de vida de nômades digitais e todos disseram coisas semelhantes sobre as recompensas e os sacrifícios desse estilo de vida de viajante.

Você não pode compreender e apreciar os benefícios desse estilo de vida que você escolheu, sem que antes você entenda quais os sacrifícios que serão necessários para isso acontecer.

São os sacrifícios que te fará se sentir realizado em cada novo destino, todo o trabalho que você teve, tem e ainda terá para poder realizar esse seu sonho e conhecer os lugares que sempre quis. São eles que tornarão as histórias de suas viagens ainda mais emocionantes e te fará crescer cada vez mais internamente.

Considere seus sacrifícios antes de embarcar em qualquer viagem e tenha em mente seu objetivo final claro então você poderá se manter em movimento no meio desses sacrifícios, não importa o quanto eles possam machucar. E eles vão doer.

Você está bem com os seus sacrifícios? Você está ciente de onde eles estão te levando? Você quer mais – o prazer do curto prazo, ou o crescimento e a realização a longo prazo?

Eu sinto meus sacrifícios intensamente. Não é fácil me desapegar da vida da qual já estava acostumada. E por isso sinto intensa alegria e gratidão com o que recebo. Isso me faz trabalhar cada vez mais duro para fazer com que meus sonhos aconteçam, isso me ajuda a amar mais profundamente, dançar com mais paixão, e ter trocas de experiências mais profundas, mesmo com estranhos.

Eu fiz a paz com meus sacrifícios. É uma atração verdadeira, que é tão grande que não posso ignorá-la pelas coisas que parecem serem mais simples e rotineiras.

Você não pode ignorar seu coração, ele bate por seus sonhos, e se você os sonha é porque está destinado a vivê-los. Você só tem que estar bem com o que você tem para dar, a fim de obtê-los.

* texto livremente traduzido e adaptado do site de viagens YTravel Blog. O artigo original foi escrito por Caz.

 

instagram viagem surf skate
Caso você queira saber mais e ficar atualizado sobre o Vida Outside siga o Instagram @thmancini e se cadastre no campo abaixo.

Você receberá dois emails mensais contendo os melhores textos, vídeos e novidades da semana sobre aventuras, surf, skate, esportes radicais e viagens.

(sua privacidade é garantida e livre de spam)



Comentários

comments