“Ainda volto pra esse vilarejo, mas agora para esquiar.” Era meu único pensamento enquanto entrava no ônibus de volta pra Vancouver. Isso foi durante meu primeiro intercâmbio. Fiquei 1 mês em Vancouver estudando inglês na Berlitz School e morando em casa de família Canadense. Na programação das atividades haviam duas noites em Whistler. Era verão, eu não sabia o que esperar daquele “paraíso canadense do Snowboard e Esqui”, como é conhecida. Mas acabou que descobri uma cidade com energia vibrante e muito propícia para a pratica de esportes radicais e aventuras em qualquer época do ano.

Whistler verão

De Vancouver para Whistler – Canadá

Para começar o trajeto de 130 km partindo de Vancouver já é uma atração a parte. As 2 horas e meia de viagem me renderam inúmeras fotos. A estrada chamada de “Sea to Sky Highway” oferece vista panorâmica para o oceano, montanhas nevadas, pinheiros, cachoeiras, lagos e ainda a possibilidade de se deparar com águias e até mesmo ursos. Acabei vendo apenas aves migratórias, mas o aviso de ursos durante toda a estrada é chamativo.

Chegando em Whistler me deparei com a fantasiosa – e real – imagem de um pequeno vilarejo ao pé da montanha coberta de neve. Não era alta temporada, mas logo deu pra perceber que de simples naquela cidade era apenas a arquitetura (se é que pode chamar isso de simples). Durante caminhava pelas calçadas de paralelepípedos passava por lojas e mais lojas de marcas famosas e o melhor e mais moderno de equipamentos esportivos, principalmente dos praticados na neve como o Snowboard. Além de diversos restaurantes entre os artesões locais, que revelavam a farta culinária de Whistler. Sem contar a vida noturna da cidade com diversas opções de entretenimento, bares e pubs com música ao vivo.

vilarejo Whistler

A Whistler dos Esportes Radicais e Aventuras

No primeiro momento a arquitetura, lojas, restaurantes e hotéis luxuosos podem chamar atenção, mas é só olhar mais ao fundo pra perceber que elas não são nem de perto a grande atração de Whistler. O que torna a cidade realmente especial são as duas montanhas “irmãs” Whistler e Blackcomb, que juntas formam a maior estação de esqui da América do Norte, e uma das melhores do mundo. Pra você ter uma ideia da dimensão, são mais de 200 pistas demarcadas nas duas montanhas, além de uma vasta área de backcountry – esqui fora da pista – para os mais aventureiros e experientes desbravarem.

E se isso não for o suficiente pra você subir as montanhas, a gôndola Peak 2 Peak muito provavelmente te fará mudar de ideia. Ela conecta as 2 montanhas Whistler e Blackcom por um trajeto de pouco mais de quatro quilômetros e uma vista panorâmica há 436 metros acima do vale. Mesmo que você não pretenda esquiar, vale subir ao topo apenas para apreciar a vista e atravessar pela gôndola. A paisagem e o contato com a natureza nas duas montanhas de Whistler são um evento por si só.

Esportes Radicais e Aventuras

Para quem tem interesse em conhecer vale ficar de olho nos horários oficiais de funcionamento aqui. Ambas as montanhas – Whistler e Blackcomb – costumam funcionar praticamente durante todo o ano, assim como a gôndola Peak 2 Peak, mas geralmente ficam uns dias fechadas durante a mudança de estações.

E não ache que só porque está indo no verão que não vai poder curtir os esportes radicais de Whistler. Se no invernos os aficionados por neve invadem o vilarejo com seus esquis e snowboards, durante o verão é a turma do mountain bike toma conta e se aventuram pelas trilhas.

Se o seu interesse é mesmo pedalar, então se prepare. São mais de 300 quilômetros de pista, além de um parque exclusivo – Whistler Bike Park – para a prática de manobras. No verão também outra “invasão” que que ocorre no vilarejo são dos veículos Off-Road, que se aventuram pelos mais variados terrenos e exploram lugares remotos pelas proximidades de Whistler. Também é possível curtir os rios e lagos aos pés das montanhas em uma aventura de rafting ou até mesmo remando de Stand Up Paddle. E para aqueles que não dispensam uma dose extra de adrenalina, o Whistler Bungee Jump é uma boa pedida. Além de encarar uma queda de mais de 50 metros de altura, ainda aproveita uma bela paisagem podendo até mesmo tocar no lago durante o verão.

As montanhas com certeza foram o ponto forte de minha viagem para Whistler e até mesmo do intercâmbio em geral para Vancouver. Se me perguntassem um lugar que eu indicaria para conhecer o vilarejo e as montanhas de Whistler seriam os lugares, sem nem precisar pensar muito.

Fotos de Whistler, Canadá

 

instagram viagem surf skate
Caso você queira saber mais e ficar atualizado sobre o Vida Outside siga o Instagram @thmancini e se cadastre no campo abaixo.

Você receberá dois emails mensais contendo os melhores textos, vídeos e novidades da semana sobre aventuras, surf, skate, esportes radicais e viagens.

(sua privacidade é garantida e livre de spam)



Comentários

comments